Se não consegue visualizar esta newsletter correctamente, clique aqui.

 
 

Sistema4

25 Anos Sistema4
            ABRIL'17 . NÚMERO 98 RS sistema4
sombra
“A inovação é sempre possível.” Virgílio Rosa
 

Virgílio Rosa - CEO da Artebel

Fundada em 1977, a Artebel desenvolve e produz artefactos de betão, nomeadamente, alvenarias, lajes, pavimentos, muros e acessórios, com uma forte aposta na criação de soluções construtivas que permitam melhorar os desempenhos térmicos e acústicos dos edifícios.

Saber mais em www.artebel.pt

 
 

40 anos depois, o sonho mantém-se ou ganhou outra forma?
Tudo na vida vai mudando. Naturalmente, a base continua a mesma, pois o segredo são os bons alicerces. No entanto, o sonho foi crescendo e mudando em alguns aspetos. Foi por isso que ao longo deste caminho foi necessário fazer investimentos, continuamente.

 

Com um percurso marcado pelo crescimento, quais têm sido os fatores principais para o sucesso?
Manter níveis de qualidade superiores à média é um dos fatores que distingue a Artebel, aliado à aposta em novas soluções e novos produtos. A melhoria contínua dos equipamentos de produção foi algo que sempre nos motivou e tem mantido a Artebel neste percurso.

 

Em que medida as exigentes normas de eficiência energética dos edifícios têm condicionado a forma de trabalhar da Artebel?
Desde muito cedo a Artebel acreditou que é preciso ter esta preocupação, embora a mudança leve tempo a acontecer, e seja necessário que o consumidor esteja focado nesse aspeto. É por isso necessário antecipar estas questões.
Cedo, a Artebel estabeleceu uma parceria com a LECA, uma matéria prima que melhora o desempenho térmico das alvenarias, tendo apostado fortemente na produção de produtos com maior eficiência térmica, sendo hoje uma referência nestes produtos. Para isso, a Artebel também tem apostado fortemente na comunicação deste tema, associado aos seus produtos, tanto online como offline.

 

Ao longo destes 40 anos, a Artebel teve de enfrentar diversas crises no setor da construção civil, com a agravante de não ter um produto facilmente exportável. Como conseguiu ultrapassar as dificuldades?
A vida é feita de altos e baixos e devemos aproveitar os momentos bons para aguentar os momentos menos bons. A construção civil tem fases, o próprio negócio em si é um negócio de ciclos longos. Temos clientes que dizem: “...é nos momentos de crise que o cliente valoriza o produto, pois o dinheiro é pouco...”, acreditamos que, em parte, este é um dos fatores principais para ultrapassar a crise.

 

Sabendo que conhece bem o setor no plano europeu, como define a construção civil em Portugal, nomeadamente no seu ramo?
Durante muitos anos a construção civil, nomeadamente a residencial, foi um dos maiores motores da economia portuguesa. A Europa assistiu, nos anos 60, numa fase pós guerra, a um crescimento da construção, captando muita mão de obra portuguesa. As receitas geradas na Europa pelas poupanças dos emigrantes eram enviadas para Portugal, o que, aliado à entrada de Portugal na CE, provocou uma escalada de crescimento, na área da Construção Civil, no final dos anos 80, em Portugal. Esse crescimento manteve-se na década de 90 e nos primeiros anos de 2000.

 

Ainda é possível inovar quando falamos de soluções construtivas em betão?
A inovação é sempre possível. Aqueles que nunca inovaram foram os dinossauros e por isso desapareceram.
É possível inovar ao nível do produto, na composição e no design, mas também podemos inovar nos produtos acessórios, nomeadamente na solução final. É ainda possível inovar na comunicação e na forma de apresentação do produto.

 

Estando a Artebel na linha da frente na produção de soluções construtivas em betão, como se sente enquanto influenciador de um mercado tão competitivo?
Não somos nós os influenciadores do mercado, procuramos diariamente satisfazer os nossos clientes, garantindo um produto de qualidade, entrega atempada e tentamos melhorar as funcionalidades do produto. Com base nesta política de serviço ao cliente, conseguimos captar a sua preferência, mas não lhe chamaríamos influenciar. Apenas estamos atentos ao mercado e procuramos responder. Estamos cá para servir os nossos clientes, e eles gostam de nós.

 

Qual a importância do marketing e da comunicação neste setor?
De que vale ter bom produto, bom preço e boa entrega se não tivermos boa comunicação? Ou seja, os 4 P (Produto, Preço, Ponto de Venda, Promoção) do Marketing devem ser aplicados ao máximo. Quando falta um deles, não funciona! Nós, na Artebel, não abdicamos de nenhum deles!

 

Em que medida a sistema4 tem contribuído para a evolução da imagem institucional e posicionamento da Artebel?
A sistema4 tem procurado responder às necessidades da Artebel, da mesma forma que a Artebel procura responder às necessidades dos seus clientes, por isso ambos têm mantido o seu sucesso. Em bom rigor, a sistema4 muito contribuiu para a promoção da Artebel ao longo do tempo.

 

Qual a mensagem que deixa à sistema4, neste 25.º aniversário?
Em primeiro lugar dizemos: Obrigado! Agradecemos toda a ajuda ao longo destes anos em que temos trabalhado em conjunto.
Depois dizemos: Continuem com o vosso bom trabalho em termos de criatividade e inovação na comunicação, precisamos disso!

 
 

sistema4@sistema4.pt T 244 848 360 |  Praceta Joaquim Dias Ramadas,33 | 2410-115 Leiria - Portugal

 
FB